Esses dias recebi uma pergunta que dizia mais ou menos assim: Jamille, porque na doutrina da sua igreja as pessoas não podem beijar no namoro? Não é permitido namorar? Qual a base bíblica para isso?

Então, pedi ajuda a Jacemã para responder essa pergunta da melhor forma possível.


Olá Jam,

Respondo em alguns pontos:


Primeiro é que não é doutrina da sua igreja; é doutrina Bíblica. E não é que não podem namorar, é que não devem, já que namoro hoje envolve intimidade física; coisa que só é direito de marido e mulher. (I Corintios 7:3-5 - O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.


Segundo esse texto podemos afirmar que: O corpo só passa a ser um do outro depois que se tornam marido e mulher. Antes disso são apenas irmãos que se gostam; e como irmãos o corpo de um ainda não é do outro e vice versa.

Veja o que Paulo diz em I Corintios 7:1-2 - Quanto aos assuntos sobre os quais vocês escreveram, é bom que o homem NÃO TOQUE em mulher, mas, por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa, e cada mulher o seu próprio marido. Tocar aqui no texto é ter intimidade física sexual - No versículo 1 ele diz que é bom que o homem não tenha intimidade física sexual com mulher; já no versículo 2 ele deixa claro que para não ser vítima da imoralidade sexual, cada um deve ter sua esposa e cada mulher o seu próprio marido, para poder tocá-lo (ter intimidade física sexual).

Outro texto também a ser considerado referente a este assunto é I Ts. 4:6 - e que ninguém, nesta matéria, oprima nem DEFRAUDE a seu irmão, porque o Senhor faz justiça de todas estas coisas, como já antes vo-lo temos dito e asseverado.

O primeiro perigo no contato físico é a defraudação. Essa palavra aparece como pecado específico em 1 Ts 4.6, inclusive, a mesma tem uma conotação sexual; Paulo no texto desafia os crentes a fugir da prostituição e e viver em santificação.

Defraudar é promover em uma pessoa um desejo que você não pode satisfazer. No caso do namoro como se entende hoje (beijos, abraços, toques, carícias e amassos), o rapaz ou a moça ao trocar carícias, fatalmente entrarão em um ponto de excitação, se forem hormonalmente saudáveis; como ambos não podem se satisfazer, consumar o ato sexual, ocorre aí a defraudação.

Segundo é que namoro, principalmente nos termos que se conhece hoje, é uma prática que não encontramos na Bíblia; portanto o namoro não encontra respaldo Bíblico.

SÓ UMA OBSERVAÇÃO: Normalmente as pessoas pedem base Bíblica para provar que "namoro" de crente tem que ser diferente do que se vê no mundo hoje; e há base para mostrar isso, embora não se tenha um versículo que diga: Não namorarás! Como não tem um versículo que diga: Não fumarás! - Uma coisa que seria interessante é pedir a essas mesmas pessoas base Bíblica para respaldar o namoro com intimidade física.

Terceiro: Não há nenhum exemplo Bíblico que demostre positivamente intimidade física entre o casal antes do casamento.


Quarto: Mesmo na nossa história antiga ocidental o namoro nada tinha a ver com o que se conhece hoje. Antigamente, o namoro expressava o ato de cortejar a pessoa desejada sem implicar qualquer tipo de intimidade física.


Veja a evolução na história:

Anos 30 e 40 - "Por volta dos anos 40, depois da Segunda Guerra Mundial, foi que as mulheres conquistaram o namoro no portão com hora marcada, vigiada por pais e irmãos. O comportamento dos casais não ia além de leves toques de mãos. Beijo, nem pensar". Nos anos 30 nem isso se tinha.

Anos 50 - Nos anos 50 os rapazes ganharam o direito de atravessar o portão e se instalar no sofá da sala. "Sempre sob o olhar do elemento mais natural da família, a famosa "vela", que era um desocupado (avó ou irmão), que ficava junto ao casal para não facilitar qualquer gesto além de um olhar, um sorriso", era muito claro nessa época que intimidade física e sexo só depois do altar.

Anos 60 - Até que chega os anos 60, e com ele a revolução Hippie, a pílula anticoncepcional, a contracultura e o "é proibido proibir". "Beijos, abraços e até filhos precoces começaram a despontar com a rebeldia da época e o sexo acabou banalizado pela facilidade em consegui-lo. A partir daí Instalou-se a falta de confiança entre os casais e, por conta disso, muitas relações se desfizeram em nome da liberdade, em nome dessa nova ordem".

Dos anos 60 para cá, dispensa comentários; as coisas só pioraram. Namoro como se conhece hoje, com certeza não é modelo bíblico e sim coisa da revolução Hippie dos anos 60.


Portanto, tanto nos tempos Bíblicos e até na nossa história antiga, namoro nada tinha a ver com beijos, carícias, toques e muito menos sexo.

Quero encerrar Jam com os seguintes versículos:

Romanos 12:1-2 - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.




Por: Jacemã Dória