“Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, orarás a teu Pai que está em secreto; e teu Pai que vê em secreto, te recompensará”. Mt 6.6.

Ainda que tenhamos um bom relacionamento com Deus durante todo o nosso dia, a palavra do Senhor nos exorta a ter um tempo exclusivo para a comunhão com Ele. Estes momentos de nosso dia são muito especiais e preciosos.

Durante a agitação do dia a dia, não conseguimos ficar completamente à vontade para falar ao nosso Pai, abrir nossos corações e, principalmente, ficar quietos para ouvi-lo. É fundamental que tenhamos momentos de intimidade com o Senhor. Provaremos uma forma indispensável de comunhão com nosso Deus.

Necessitamos de momentos exclusivos, íntimos e solenes com o Pai.

Necessitamos de momentos solenes para conhecer sua santidade, para confessar nossos pecados e experimentar sua misericórdia e perdão. Necessitamos de lugares de intimidade para adorá-lo, derramar-nos a seus pés e provar seu amor e consolo. Necessitamos de tempos especiais e longos para meditar Nele e na sua palavra e para ouvir calmamente a sua desejável voz. Necessitamos de momentos para clamar ao Senhor, erguendo nossas orações e súplicas.

A obra de Deus é espiritual e não podemos realizá-la com recursos materiais. Ninguém pode converter alguém. Isto é obra do Espírito Santo, e é necessário oração para que aconteça. Ninguém pode guardar um discípulo de cair. Só podemos guardar e proteger os discípulos pela oração. Ninguém pode transformar um coração. Isto é obra do Espírito Santo, e necessitamos interceder para que isto ocorra. Ninguém pode curar um enfermo. Só Deus. E ele ordena que oremos para que ele possa operar. Ninguém pode dar revelação da Palavra de Deus a outro. Isto é obra do Senhor, que acontece a partir da oração.


Jesus e a sua intimidade com o Pai

“E, despedidas as multidões, Jesus subiu ao monte, a fim de orar sozinho.” Mt 14.23.

“E, tendo-os despedido, subiu ao monte para orar.” Mc 6.46.

“Naqueles dias, Jesus retirou-se para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus.” Lc 6.12.

Jesus, apesar de sua vida extremamente sobrecarregada de compromissos e atendimentos, não podia ficar sem os momentos a sós com o seu Pai. Mesmo sendo o Filho e conhecendo totalmente o Pai e sua vontade, não podia viver sem essa comunhão com Ele. Era, para Ele, uma necessidade e um prazer. Certamente Ele ficava esperando o momento do dia no qual poderia sair um pouco à parte para ter seu tempo especial de intimidade com seu Pai.

Jesus ficava esperando o momento do dia de ter seu tempo especial de intimidade com o Pai.

Assim também nós, apesar das muitas atividades devemos priorizar e desejar ardentemente ter essa prática. Lutero dedicava diariamente bom tempo à oração. Porém, em dias de muita ocupação dizia: “Hoje necessito orar mais, pois o dia será cheio”. Nós, freqüentemente, fazemos o contrário, nos dias de muitas ocupações, ficamos sem tempo para a oração.

Estabeleçamos o FIRME propósito de separar diariamente um tempo exclusivo de comunhão com nosso Deus.

A oração é, para nós, uma necessidade e um prazer.